Aprenda a lidar com as contra-ordenações rodoviárias

De: José Confraria - Formador Rodoviário e Transportes Rodoviários  06/07/2010

  Um dos grandes flagelos da circulação rodoviária são os acidentes.
  Este facto tem levando a que muitas entidades tentem por todos os meios controlar a acção da condução de veículos.
  No entanto nem sempre o fazem da maneira mais eficaz e há uma senção irronea de impunidade por parte de alguns condutores.
 Por outro lado o desconhecimento do que constitui ou não contra-ordenação rodoviária, leva a que os condutores entrem no incumprimento, o que faz com que sejam autuados, no entanto nem sempre os autos correspondem à realidade da contra-ordenação e ou o cidadão acoimado é informado dos seus direitos e obrigações.
 O País atravessa uma crise financeira que se revela também e negativamente no orçamento familiar, que poderá ser agravado com a aplicação de uma coima, a maior parte das vezes de valor elevado.
 Por outro lado, acessóriamente a uma coima grave ou muito-grave é aplicada uma pena de inibição de conduzir, no minimo de um mês ou dois meses repectivamente, agravada para o dobro numa segunda ou sucessivas contra-ordenações, e isto poderá pesar também na manutenção do emprego, caso necessite de conduzir para desempenhar as suas funções.
 Por isso é de extrema necessidade aprender a lidar com as contra-ordenações rodoviárias.
 O pagamento imediato da coima não é obrigatório, é apenas um direito que poderá ou não exercer voluntáriamente.
 Aprenda isto e muito mais numa acção de formação com a duração de 4 horas pelo valor 
de uma coima de valor minimo.